quarta-feira, 2 de maio de 2012

A Era Napoleônica

No dia 09 de novembro de 1799 a França se tornou cenário de um dos mais famosos Golpes de Estado do mundo. Esse movimento liderado pelo General Napoleão Bonaparte ficou conhecido como 18 Brumário segundo o calendário francês da época e deu início a mais uma onda de mudanças sociais dentro daquele país.

Ao derrubar o Diretório com o apoio do Exército e de um grupo de políticos influentes, Bonaparte iniciou o que chamamos de Era Napoleônica, quinze anos de governo centralizado em suas mãos entre 1799 e 1815. Para facilitar a compreensão podemos dividir esse período em três momentos distintos: o Consulado, o Império e o breve Governo de cem dias.



O Consulado (1799 a 1804):

Foi um período republicano onde o poder foi deixado nas mãos de três militares: Roger Ducos, Sieyes e Napoleão que era o principal deles, ou seja, o primeiro cônsul. Nessa fase os ideais de Liberdade, Igualdade e Fraternidade foram frustrados, a oposição foi aniquilada, a imprensa censurada, a polícia aumentou a violência, a economia foi recuperada graças a criação do Banco da França, os sistemas jurídico e administrativos foram reorganizados com nomeações do cônsul, o comércio foi fortalecido, o ensino foi remodelado para preparar os cidadãos para servirem ao Estado, foi criado um novo Código Civil dando prioridade aos interesses da burguesia, a Igreja Católica sofreu intervenções a partir de concordatas e as ocupações territoriais foram mantidas. Essas medidas agradaram as elites que apoiaram o Consulado Vitalício de Napoleão em 1802, dois anos mais tarde através de um plebiscito a população aprovou sua nomeação como Imperador do país.



O Império (1804 a 1815):

Foi um período ditatorial onde Napoleão governou o país sozinho da maneira que lhe parecia melhor. No ato de sua coroação em 02 de dezembro de 1804 ele retirou a coroa das mãos do Papa Pio VII demonstrando que ninguém ficaria acima dele, nem mesmo a poderosa Igreja Católica, depois de se auto-coroar ele corou sua esposa. Nessa fase ele concedeu títulos de nobreza e importantes cargos políticos a seus familiares, montou uma nova corte com seus militares, alguns burgueses e antigos membros da nobreza além de mandar construir monumentos como o Arco do Triunfo (construído entre 1806 e 1836).



A Expansão imperial:

Ambicioso como era, Napoleão decidiu expandir seu território, para isso fortaleceu seu exército tornando-o mais poderoso da Europa, chegou a dominar um terço da população européia, aproximadamente 45.000.000 de habitantes. Suas campanhas de expansão começaram a ameaçar alguns países, logo Áustria, Prússia, Rússia e Inglaterra se uniram contra ele.

O general venceu as tropas da Áustria, Prússia e Rússia entre 1805 e 1807, mas não conseguiu invadir a Inglaterra que contava com a marinha mais poderosa da época, sendo vencido na Batalha de Trafalgar em 1805. No mesmo ano durante a Batalha de Austerlitz contra a Áustria conseguiu dominar parte do território alemão além de conquistar alianças com terras próximas.


O Bloqueio Continental:

Em 1806 ao perceber que não conseguiria passar pela marinha para alcançar as terras britânicas ele decidiu mudar de estratégia e decretou o Bloqueio Continental, a partir dele nenhum país europeu poderia manter comércio com a Inglaterra, caso descumprisse a limitação teria suas terras invadidas pelas tropas francesas, mas isso não funcionou porque Portugal e Rússia se arriscaram a manter as relações comerciais.

Os russos precisavam vender seus estoques de cereais por isso desrespeitaram Napoleão em dezembro de 1810, dois anos mais tarde o Czar russo viu suas terras serem invadidas por mais de 180.000 cavalos e 600.000 soldados franceses. A Rússia usou seu rigoroso inverno como aliado, a população foi recuando enquanto queimava as plantações e casas, os franceses encontravam tudo destruído e aos poucos foram sendo derrotados pelo frio e pela fome. Era a técnica de Terra Arrasada.

Napoleão teve que desistir e retornar para a França, chegou na sua terra com menos de 100.000 homens definhando, era o principio do fim, pela primeira vez o general havia sido derrotado. Em 31 de março de 1814 os aliados invadiram Paris, exilaram Napoleão na ilha italiana de Elba e levaram Luis XVIII ao trono da França.



O Governo dos cem dias (1815):

Foi o breve período em que Napoleão voltou ao poder da França depois de ter fugido da ilha de Elba e conquistado o apoio do exército que deveria prendê-lo novamente. Nessa fase ele acaba perdendo a Batalha de Waterloo na Bélgica em 18 de junho de 1815 aonde é preso e enviado a Ilha de Santa Helena onde falece em 1821.



O Congresso de Viena (1814 a 1815):

Foi uma reunião aonde os países aliados que derrotaram Napoleão dividiram as terras novamente. Nesse encontro os aliados queriam recuperar as fronteiras dos países de 1792, antes das alterações causadas pela Revolução Francesa e pelas idéias Iluministas. Eles decidiram que o poder deveria ser tomado pelos herdeiros dos tronos de cada país e os mesmos deveriam se unir na Santa Aliança contra qualquer tentativa de revolução, esses governantes teriam que manter suas monarquias eliminando as idéias de República. A Santa Aliança não respeitou as diferenças culturais e acabou juntando povos muito diferentes sobre uma mesma coroa, com o passar do tempo esses povos foram alimentando seus sentimentos nacionalistas que levaram a criação de diversos países anos mais tarde.

Confira o trecho do filme Cidade dos Homens em que o personagem Acerola explica a expansão do território francês nas mãos de Napoleão:



Nenhum comentário: