sexta-feira, 22 de junho de 2012

Hebreus, os filhos de Javé

(A travessia do Mar Vermelho, os hebreus são guiados por  Moisés) 

O povo hebreu surgiu há aproximadamente 4.000 anos atrás próximo a cidade mesopotâmica de Ur. Foi o primeiro povo monoteísta da história, ou seja, os primeiros a acreditarem na existência de um único Deus, Javé. A religião que criaram, o Judaísmo, era a base de suas vidas, graças a isso a história desse povo está registrada na Bíblia uma vez que eles mesmos escreveram os cinco primeiros livros do antigo testamento que eles chamam de Torá, o livro sagrado.

A sociedade hebraica tinha critérios familiares bastante diferentes dos que existiam na época, ao contrário do Egito e da Mesopotâmia, os hebreus não admitiam a poligamia, então tanto homem quanto mulher só podiam casar-se uma única vez. Os filhos eram considerados bençãos de Deus e os maridos tinham o direito de abandonar sua esposa caso ela fosse infértil. Como as mulheres deviam prorrogar o sangue de seu esposo caso ela se tornasse viúva antes de ter filhos ela deveria casar-se com seu cunhado para continuar a descendência da família.

A sociedade era patriarcal, ou seja, os pais eram a referencia familiar e tantos seus filhos quanto sua esposa deviam obedece-lo em qualquer circunstancia. Por viverem em uma terra árida de clima quente a agricultura não era muito fácil, assim eles se tornaram grandes pastores de ovelhas e cabras. Essas famílias religiosas não aceitavam que seu Deus fosse simbolizado por uma imagem, não concordavam com o culto de estátuas religiosas porque a grandiosidade de Javé não podia ser colocada em uma representação qualquer.

A sociedade hebraica vivia, inicialmente, dividida em doze tribos nômades e sua história foi marcada por escravidão, fuga e perseguições. Para entender um pouco melhor a trajetória desse povo podemos dividir sua existência em 3 fases:

O Governo dos Patriarcas:
Por volta de XIX a.C os hebreus viviam ao redor de Ur (cidade mesopotâmica) organizados em 12 tribos nômades com propriedades comunitárias, cada uma dessas tribos era governada por um chefe, chamado de Patriarca que geralmente era o homem mais velho do povo. Em meados de XVIII a.C o patriarca Abraão sonhou com Javé, no sonho o Deus lhe falou que existia uma Terra Prometida para seu povo, a Palestina, e pediu para Abraão levar as tribos para lá, ele realizou o pedido divino, mas em 1750 a.C uma seca terrível assombrou as terras palestinas fazendo com que os hebreus fugissem á procuram de água. Eles encontraram as águas do Nilo um pouco mais ao sul, mas os egípcios não perdoaram a invasão e transformaram as tribos em escravos. Cerca de 500 anos mais tarde um hebreu criado pela rainha egípcia, Moisés, recebeu o Deus Javé que lhe pediu para salvar os hebreus levando-os de volta para a Palestina, Moisés assim o fez, pegou seu povo, atravessou o Mar Vermelho e recebeu os Dez Mandamentos no Monte Cairo das mãos de Javé para organizar e unir as tribos.

O Governo dos Juízes:
Quando chegaram á Palestina as terras já estavam tomadas por outros povos e seria necessário reconquistá-las, para isso era fundamental um governo forte e organizado. Para solucionar esse problema as tribos elegeram um Juiz que organizaria a sociedade, os juízes eram líderes políticos, militares e religiosos, mas o governo continuava nas mãos dos Patriarcas de cada tribo. Um juiz bastante conhecido pela história popular é Sansão que tinha sua força concentrada em seus longos cabelos. Esse período de lutas para reconquistar a Palestina ocorreu entre 1200 e 1010 a.C e foi caracterizado pelo inicio das propriedades particulares e pelas batalhas enfrentadas pelos juízes.

O Governo dos Reis:
Os reis surgiram para unir definitivamente as 12 tribos hebraicas porque somente com essa união os hebreus conseguiriam se fortalecer nas terras palestinas. O primeiro rei foi Saul. O segundo foi Davi que tornou o Estado mais complexo. O terceiro foi Salomão que elevou consideravelmente os impostos e o quarto, Roboão manteve essas cobranças altas provocando o descontentamento popular que levou á separação (Cisma) do povo em 722 a.C. Após essa divisão o povo se tornou muito fraco e começou a ser perseguido por outros povos por isso começaram a fugir pelo mundo, essa fuga em massa é chamada de diáspora e durou mais de 2000 anos. Os hebreus só conseguiram voltar para a Palestina no ano de 1942 quando a ONU conseguiu criar o estado de Israel, mas as disputas entre palestinos e israelenses se mantém até os dias de hoje, esses dois povos discordam não só pelas terras mas também por motivos religiosos: os palestinos são muçulmanos enquanto os hebreus de Israel continuam seguindo o judaísmo.

Se você se interessou pelo tema aproveite para pesquisar mais sobre os hebreus atualmente, busque notícias sobre os conflitos que enfrentam diariamente para continuar vivendo nas terras palestinas. Comece assistindo aos vídeos que seguem. Até mais!



Nenhum comentário: